Acesso Rápido

O que você precisa?

Telefones Úteis

Página Inicial Noticias Lista de notícias Passo a Passo para nova decretação de situação de emergência por seca (processo estadual a ser concluído em 12/12/2018)
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto

Passo a Passo para nova decretação de situação de emergência por seca (processo estadual a ser concluído em 12/12/2018)

Ter, 06 de Novembro de 2018 11:00

Objetivo:

Este Passo a Passo foi elaborado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Ceará (CEDEC-CE) para auxiliar os coordenadores e agentes de proteção e defesa civil, operadores do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID):

- dos Municípios em situação de emergência por seca com prazo de vigência a se encerrar até 12/01/2019 (relação AQUI), na nova declaração de situação de emergência por seca, se for o caso; bem como

- dos demais Municípios que atualmente não estão em situação de emergência por seca decretada e reconhecida (relação AQUIe necessitam ingressar nesta situação a fim de responder adequadamente ao desastre, se for o caso.

 

Cronograma:

06 a 21/11/2018: período de preenchimento dos formulários e inserção dos respectivos documentos comprobatórios no S2ID, de acordo com as orientações da CEDEC. (Não serão analisados, para efeito de inclusão no Decreto estadual, os processos que forem registrados no S2ID após 21/11/2018).

- 22/11 a 05/12/2018: período de análise e ajuste dos processos. (Antes desse período poderão ser analisados somente os processos cuja finalização for informada à CEDEC por e-mail ou telefone). (O formulário de análise do processo, contendo as pendências a serem sanadas e o prazo, será inserido no S2ID, na aba "Anexos" do processo, bem como enviado para o e-mail cadastrado no S2ID e no banco de dados da CEDEC). (O prazo máximo para sanar todas as pendências será 05/12/2018. Após essa data, os Municípios que não tiverem sanado as pendências apontadas pela CEDEC não serão incluídos no Decreto estadual e deverão fazer um processo individual, caso queiram obter o reconhecimento federal).

06 a 12/12/2018: período de trâmite administrativo para a publicação do Decreto estadual e envio do processo para o reconhecimento federal, a cargo da CEDEC.

Por fim, quando for publicada a Portaria de reconhecimento federal da situação de emergência decretada pelo Estado, a CEDEC a enviará por e-mail aos Municípios, bem como a disponibilizará AQUI.

 

Procedimentos:

Inicialmente, cumpre destacar que todo o processo é operado exclusivamente no S2ID. Contudo, antes de iniciar o registro do processo no sistema, o Município deverá baixar e preencher off-line o modelo do FIDE (disponível no item 5 deste Passo a Passo) e da DMATE (disponível no item 6), tirar as fotos (conforme orientações do item 7), bem como reunir todos os documentos comprobatórios dos danos e prejuízos (indicados no item 8). Ressalte-se que somente deverão ser registrados no FIDE os danos e prejuízos que tiverem sido devidamente documentados, conforme orientações do item 8 deste Passo a Passo.

 

1. Acessar o S2ID no endereço s2id.mi.gov.br, ou clicando na imagem abaixo; inserir o Usuário e Senha e clicar em “Entrar”.

Caso não haja, no Município, usuário cadastrado para acessar o S2ID, favor clicar AQUI para saber como solicitar o acesso ao sistema.

Caso o usuário já cadastrado no S2ID tenha esquecido sua senha de acesso, ligar para (61) 2034-4600 e solicitar nova senha provisória. 

Observações:

Caso tenha problemas para acessar o sistema, o usuário deverá ligar para (61) 2034-4600 ou 0800-610021 ou ainda enviar e-mail para  Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. .

Por motivo de segurança, para sair do S2ID o usuário deverá sempre clicar em "Sair do Sistema" (canto superior direito da tela); caso contrário, ao retornar ao sistema logo em seguida ou tentar abri-lo noutro navegador, não será possível efetuar o acesso antes de decorridos 30 minutos e aparecerá a mensagem "Sessão já iniciada por este usuário em dia/mês/ano hh:mm:ss!". 

 

2. Conferir os dados e clicar em “Avançar”.

 

 

3Clicar no botão “Registro e Reconhecimento”.

 

4. Clicar no botão “Novo Registro”.


Observações:

Todos os formulários do sistema podem ser salvos aos poucos, sem a necessidade de estarem completamente preenchidos. Esse processo é aconselhável para evitar a perda de informações devido a problemas de conexão com a internet.

Caso o usuário futuramente retorne ao sistema para complementar o registro já criado e não concluído, deverá clicar na opção "Pesquisar" e localizar o registro que deseja editar/alterar.

 

5. Será aberta a página do Formulário de Informações do Desastre (FIDE), o qual deverá ser preenchido completamente.

A CEDEC disponibiliza AQUI um modelo de FIDE com as devidas orientações de preenchimento.

Para agilizar o preenchimento do FIDE, fica também disponibilizada AQUI uma planilha com dados do PIB anual a preços correntes (IBGE, 2010) e da Receita Corrente Líquida - RCL anual (TCM, 2016) dos Municípios.

 

Preenchido o FIDE, clicar em “Salvar Registro”. (Após salvar as primeiras informações básicas inseridas no FIDE, as demais abas do processo - DMATE, Relatório Fotográfico e Anexos - serão habilitadas automaticamente). 

 

6Clicar na aba “DMATE” e preencher completamente o formulário.

A CEDEC disponibiliza AQUI um modelo de DMATE preenchido. Vale ressaltar que a DMATE se refere exclusivamente à atuação do Município e não do Estado e da União.

Preenchida toda a DMATE, clicar em “Salvar DMATE”. 

 

7. Após gravar as informações preenchidas na DMATE, clicar na aba “Relatório Fotográfico” e inserir de 2 a 5 fotos recentes, datadas, da seca no município (por exemplo: abastecimento emergencial com carro-pipa, reservatórios d'água secos, animais mortos, plantações perdidas etc.).

Em seguida descreva a situação retratada nas imagens (por exemplo: local onde foi fotografada a imagem, os danos retratados, o impacto local do dano e a quantidade de pessoas afetadas).

Na sequência, deve-se selecionar, com a maior precisão possível no mapa, o local onde foram registradas as imagens; para isso basta clicar no mapa.

Observação: O sistema converte imagens para o tamanho padrão de 500kb, portanto, caso o arquivo seja maior do que o padronizado poderá demorar um pouco para carregar cada imagem. A imagem só estará anexada quando se torna possível sua visualização.

Após esse processo, clique em “Salvar formulário”.

 

8. Após gravar as fotos, clicar na aba "Anexos" para inserir os seguintes documentos, todos datados devidamente assinados de próprio punho e em seguida digitalizados:

- Para comprovar os danos ambientais relacionados à diminuição ou exaurimento da água, informados no campo 6.3 do FIDE, bem como a precariedade do abastecimento de água:

- Relatório de situação atual do(s) reservatório(s) monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos - COGERH no município (pode-se acessar o site www.hidro.ce.gov.br, localizar o açude no mapa, clicar em "Evolução do volume armazenado" e, no menu do canto superior direito, clicar em "Download PDF document"; em seguida providenciar a datação e assinatura do documento junto à respectiva Gerência Regional da COGERH) (esse relatório será exigido dos Municípios que têm algum açude monitorado pela COGERH e que esteja com baixo volume de acumulação);

- Relatório de situação atual do abastecimento realizado pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará - CAGECE ou pelo Sistema Autônomo de Água e Esgoto - SAAE ou pelo Sistema Integrado de Saneamento Rural - SISAR no município (solicitar um documento do órgão contendo: situação do manancial em termos de acumulação e/ou vazão e a indicação de redução ou colapso do abastecimento, indicando também a vazão necessária para a normalidade do abastecimento) (esse documento será exigido dos Municípios que têm tido redução ou colapso do abastecimento das áreas atendidas pelos órgãos de abastecimento de água); e

- Relatório municipal de situação atual dos reservatórios e do abastecimento d'água potável das áreas sem sistema de abastecimento implantado (modelo AQUI) (esse relatório será exigido de todos os Municípios). 

 

- Para comprovar o prejuízo público relacionado ao abastecimento de água, informado no campo 7.1 do FIDE: comprovantes dos gastos com a manutenção do abastecimento emergencial de água potável, podendo ser relatório/laudo/declaração dos gastos (somente nos últimos 6 meses):

- do Município com a manutenção ou contratação de carro-pipa ou de empresa para construir poços ou adutoras; 

- do Exército Brasileiro com a operação carro-pipa federal nas áreas rurais do município (exigível quando o Município não tem registro de outros prejuízos públicos); 

- da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil - CEDEC com a operação carro-pipa estadual na sede - área urbana - do município (a própria CEDEC enviará a Declaração por e-mail aos Municípios por ela atendidos); 

- da Superintendência de Obras Hidráulicas - SOHIDRA com a construção de poços ou de adutoras para a manutenção do abastecimento, caso tenha ocorrido; e

- da CAGECE ou do SAAE com a construção de poços ou de adutoras para a manutenção do abastecimento, caso tenha ocorrido.

 

- Para comprovar o prejuízo privado relacionado à agricultura e à pecuária, informados no campo 7.2 do FIDE:

- Relatório de Situação da Produção de sequeiro de 2018, se houver perda agrícola devido à seca neste ano (pode-se baixar o "relatório de situação da produção" mais recente, disponível na página de Publicações do site www.ematerce.ce.gov.br; imprimir somente a(s) página(s) correspondente(s) à produção do município por distrito e cultura; e em seguida providenciar a datação e assinatura do documento junto ao respectivo Escritório da Ematerce); e

- Relatório/laudo/declaração da Secretaria Municipal de Agricultura atestando as perdas da agricultura irrigada e da pecuária nos últimos 6 meses, se houver.

 

Pronto! O Município já fez todo o procedimento sob sua responsabilidade e a documentação já estará disponível para análise da CEDEC!

Atenção! Neste processo não será exigida a postagem do Decreto, Ofício e Parecer municipais no S2ID, pois esses documentos serão confeccionados pela CEDEC englobando todos os Municípios. Portanto, os botões de "Enviar para homologação estadual" e de "Enviar para reconhecimento federal" não precisarão ser habilitados ou clicados. Ao serem postados no S2ID, os dados e documentos ficam automaticamente disponíveis para análise estadual.

Caso o Município insira esses documentos (Decreto, Ofício e Parecer municipais) e envie o processo à CEDEC clicando no botão "Enviar para homologação estadual", o sistema não permitirá o agrupamento do processo municipal pelo Estado, daí o mesmo passará a ser tratado como um processo individual.  

 

Observações finais:

1. Não é necessário imprimir e enviar a documentação em meio físico ou por e-mail. Ao serem postados no S2ID, os dados ficam automaticamente disponíveis para análise.

2. Para sanar dúvidas relativas ao funcionamento do S2ID, favor ligar para (61) 2034-4600 (falar com um servidor do setor de Reconhecimento Federal) ou enviar e-mail para  Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. .

3. Para sanar dúvidas relativas ao registro/preenchimento do processo no S2ID, contatar o responsável pelo setor de Homologação de Desastres da CEDEC, Sargento Claidistone ( Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. , 85 3101-2126). Também poderá ser contatado o responsável pelo setor de Minimização de Desastres da CEDEC, Capitão Aluizio ( Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. ,  85 3101-4582 / 98899-1137).

4. Os municípios que por algum motivo queiram confeccionar o Decreto Municipal de declaração de situação de emergência poderão fazê-lo normalmente (modelo do Decreto Municipal AQUI). O Decreto Municipal deverá considerar o Parecer da Defesa Civil Municipal (modelo do Parecer Municipal AQUI). Ressalte-se que o Decreto Municipal não deverá ser postado no S2ID, pois o Decreto a ser reconhecido pelo Governo Federal será o Estadual. 

 

Serviços

Agenda - Novembro 2018

Do Se Te Qu Qu Se Sa
28 29 30 31 1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 1

Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Ceará - Rua Oto de Alencar, 215 Centro - Cep 60.010-270, Fortaleza/Ce

Fone: (85) 3101.4582 e Fax 3101.2118

© 2008 - Governo do Estado do Ceará. Todos os Direitos Reservados